Comunicação

15/04/2013

CBIC lança guia para orientar sobre norma de desempenho das edificações habitacionais

Consumidor vai ter parâmetros técnicos para avaliar o imóvel que vai adquirir e manter.

      A Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil, em parceria com a Caixa Econômica Federal, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), o Senai e o Banco do Brasil, lançou o guia orientativo para atendimento à Norma ABNT NBR 15575/2013 – Desempenho de Edificações Habitacionais, que estabelece os parâmetros para os projetos habitacionais e que entrará em vigor a partir do dia 18 de julho deste ano.

        Para o presidente da CBIC, Paulo Safady Simão, o conjunto de normas é um marco na modernização tecnológica da construção brasileira e melhoria da qualidade das habitações, sendo um símbolo da parceria entre a iniciativa privada e os órgãos do governo. Ele ressaltou que esta é uma maneira nova de medir a qualidade do processo construtivo e que o consumidor padrões e conceitos como o de vida útil do material.

       O presidente da ABNT, Pedro Buzatto alerta que a norma estabelece padrões no que se refere à eficiência das edificações, bem como beneficia o consumidor que busca conforto, estabilidade, vida útil adequada da edificação, segurança estrutural e contra incêndios.

       O presidente da Caixa Econômica Federal, Jorge Hereda observou que a norma vai permitir melhorar a produtividade da construção e a qualidade das habitações, algo que considera fundamental, considerando ainda que é um avanço no setor e que levará algum tempo no aprendizado dos novos parâmetros.

        A solenidade ocorrida no dia 12 último, em Brasília contou também com a presença da secretária de Habitação, Inês Magalhães, do Ministério das Cidades, que afirmou considerar o guia a consolidação de como se tem tratado os temas pactuados com o setor privado, em corresponsabilidade de se estabelecer uma nova forma de construção de qualidade. Cerca de 180 pessoas participaram da solenidade, entre arquitetos, corretores, agentes financeiros, engenheiros, consultores, empresários, lideranças empresariais, fabricantes de materiais de construção e construtores.

        O documento está disponível na página eletrônica da CBIC para ser baixado pelos profissionais da cadeia produtiva da construção civil. Composto de seis partes (requisitos gerais, para os sistemas estruturais, para os sistemas de pisos, para os sistemas de vedações internas e externas, para os sistemas de coberturas e para os sistemas hidrossanitários), o guia prático visa contribuir para a racionalização do consumo de materiais e dos processos construtivos. Além disso, ele será periodicamente atualizado com informações técnicas sobre produtos e a capacidade técnica-laboratorial implantada no país.

        Cada parte da norma foi organizada por elementos da construção percorrendo uma sequência de exigências relativas à segurança (desempenho mecânico, segurança contra incêndio, segurança no uso e operação), habitabilidade (estanqueidade, desempenho térmico e acústico, desempenho lumínico, saúde, higiene e qualidade do ar, funcionalidade e acessibilidade, conforto tátil) e sustentabilidade (durabilidade, manutenibilidade e adequação ambiental).

©2013. Todos os Direitos Reservados